O endodontista é o profissional responsável por realizar o tratamento de canal ou tratamento endodôntico. O canal é um tecido mole constituído por vasos sanguíneos (arteríolas, vênulas) e nervo envolto pelo tecido duro que compõem o dente, quando o processo de cárie atinge esta região aparecem dores fortes associadas a dores de cabeça e dores por toda a face que podem alertar sobre uma pulpite aguda (inflamação aguda da polpa). Quando este tecido mole entra em processo de morte (necrose) conhecido como pulpite crônica, que pode ocorrer por uma pancada forte ou por infecção bacteriana como é o caso da cárie por exemplo; podem ocorrer dores menos fortes na região do dente afetado associado a inchaço da face, estes são os momentos que normalmente o paciente procura ajuda do cirurgião dentista.
Basicamente o tratamento endodôntico é a remoção e limpeza do interior do dente depois que o tecido mole está necrótico
e/ou contaminado por bactérias.

Com o avanço tecnológico o tratamento de canal pode ser feito em uma única sessão e em quase todos os casos sem dor, isso é possível devido aos novos equipamentos e ações diferenciadas de anestésicos locais, dando total conforto ao paciente. Além de não ter que se submeter a várias intervenções no mesmo dente a chance de sucesso no tratamento é muito maior, uma vez que o dente sofrerá uma única intervenção e será vedado diminuindo a chance de haver uma nova contaminação bacteriana. Para aumentar a chance de sucesso após o tratamento endodôntico o endodontista utiliza uma tecnologia extremamente recente para diminuir a contaminação bacteriana do canal através do laser de baixa potência associado a corantes, como outras funções do laser em endodontia podemos listar a analgesia e a estimulação de células reparadoras para período posterior ao tratamento endodôntico.